O mês de junho tem a simbologia da cor vermelha visando sensibilizar e conscientizar para a importância de doar sangue e assim atrair mais doadores.

E é sobre isso que iremos falar hoje.

 A doação de sangue é um ato voluntário que pode ajudar a salvar muitas vidas. Em cada doação, uma pessoa doa, no máximo, 450 ml de sangue, quantidade que o organismo consegue repor em até 24 horas e essa única doação pode salvar a vida de até 4 pessoas.

A doação de sangue só é possível graças à disponibilidade de pessoas que queiram ajudar outras pessoas. Por isso, é preciso contar com a solidariedade da população para manter em níveis adequados os estoques nos Hemocentros.

O sangue doado não é utilizado apenas em pacientes que sofreram acidentes em que houve perda sanguínea. Intervenções médicas como alguns procedimentos oncológicos e cirurgias, além de pacientes com algumas doenças, como a talassemia, podem utilizar esse sangue.

Quem pode doar sangue?

O doador deve estar com boa saúde, ele deve ter entre 16 e 69 anos. Se menor de 18 anos, deve apresentar um consentimento do responsável. Se entre 60 e 69 anos, já deve ter feito doação alguma vez antes de completar 60 anos de idade. O possível doador também deve pesar acima de 50 kg. O doador deve estar bem alimentado e ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas.

Algumas pessoas possuem restrições que impedem a doação, existem impedimentos que são temporários e outros que impedem definitivamente a doação.

Impedimentos temporários

Gripe, resfriado e febre (aguardar 7 após o desaparecimento dos sintomas), período gestacional, período pós-gravidez (90 dias para parto normal e 180 dias para cesariana), amamentação (até 12 meses após o parto), tatuagem ou piercing nos últimos 12 meses, extração dentaria (aguardar 72 horas), apendicite, hérnia e varizes (aguardar 3 meses), colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem sequelas graves, tireoidectomia, colectomia (6 meses), transfusão de sangue (1 ano), vacinação (o tempo para aguardar varia de acordo coma vacina), exames/procedimentos com utilização de endoscópio nos últimos 6 meses, ter sido exposto a situações de risco acrescido para infecções sexualmente transmissíveis (aguardar 12 meses após a exposição).

Impedimentos definitivos 

Ter passado por um quadro de hepatite após os 11 anos de idade, evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I, II e doença de Chagas, uso de drogas ilícitas injetáveis e Malária.

Etapas da doação

Registro do doador: nessa etapa é feito o cadastro do doador, é necessário que o documento com foto, emitido pelo órgão oficial seja apresentado.

Triagem Clinica: nessa etapa é realizada uma entrevista com o possível doador, a entrevista é feita por um profissional de saúde que irá avaliar as condições da saúde do doador.

Triagem Sorológica: são feitos testes laboratoriais para verificar se o sangue está em condições de ser usado.

O processo de doação de sangue é relativamente rápido. Desde o cadastro e triagem clínica até a coleta de sangue, o processo dura em média 40 minutos.

Após a doação faça um pequeno lanche, não realize esforço físico nas próximas 12 horas, evite bebidas alcoólicas e não fume. Espere até 4 horas para retirar o curativo do local de punção.

Mulheres podem doar sangue a cada intervalo de 90 dias, podendo fazer até 3 doações por ano. Homens podem fazer até 4 doações por ano, aguardando 60 dias de intervalo.

Mitos sobre doação de Sangue

A mulher não pode doar sangue menstruada: isso é um mito, uma vez que o período menstrual não é impedimento para a doação.

Quem tem tatuagem não pode doar sangue: isso é um mito, pois se pode doar após um ano de realizada a tatuagem.

A quantidade de sangue doada pode causar danos à saúde: isso é um mito, porque a quantidade de sangue retirada é pequena e o organismo repõe esse volume de sangue em até 24 horas.

Doar sangue engrossa o sangue: isso é um mito, já que o processo não engrossa e também não afina o sangue.

Fumantes não podem doar sangue: pessoas que fumam podem doar sangue, entretanto, o Ministério da Saúde recomenda um intervalo sem fumar de pelo menos duas horas antes da doação.

Doação de sangue no Brasil

Até a década de 1980, a doação de sangue no Brasil era remunerada, mas devido ao aparecimento da AIDS e outras doenças transmissíveis pelo sangue o mundo passou a se preocupar com a segurança do sangue. Uma das medidas que foi tomada foi à finalização da doação remunerada que passou a ser de forma voluntariada.

Atualmente o sangue doado passa por um rígido controle antes de ser usado. Os números de doações são baixos, principalmente em determinadas épocas do ano. É muito comum que pessoas apenas doem sangue quando algum conhecido necessita, por esse motivo é importante incentivar a população para que façam doações regulares para que haja a manutenção do estoque nos hemocentros.

Aproveite o Junho Vermelho e faça sua doação.

Continue acompanhando nosso blog para não perder mais matérias como essa e nos acompanhe nas redes sociais para ficar por dentro das nossas novidades.